terça-feira, junho 27, 2006

Visita ao jardim do Éden


O regresso em 2006 da dupla britânica Henry Binns e Sam Hardaker, está assombrado pelo espectro do último encontro. "The Garden", é o terceiro registo da dupla, que tem segundo muitos, aspecto de ser o último (sinceramente, parece ser mais um bluff da indústria musical).
Dois anos depois de "When It Falls", encontram-se bem delineadas novas abrangências sonoras. Elementos orgânicos conferem um ambiente acústico que se imiscuem nas tendências psicadélicas.
O som apesar de tudo, revelam-se mais em linha de continuidade que de mudança. Podemos contar com o bom chillout e downtempo a que nos habituaram, sendo adornado com pequenos motes trip-hop. Como sempre, na parceria vocal temos Sia, a quem se junta José Gonzalez, músico sueco.
Esta simbiose de novos elementos com a alma original dos Zero 7 gera uma pequena e estranha crise existencial. Não deixando de ser um bom àlbum, é evidente que se ambiciona algo mais que aquilo que os popularizou. Fica a questão se seguirão os pergaminhos do muito bem sucedido "Simple Things" (rota escolhida por muitos projectos musicais este ano, que regressaram às origens), ou se optarão por pisar terrenos novos e desconhecidos, sujeitando-se a uma operação plástica de personalidade e carácter musical. Se tivéssemos apenas a soul e a folk para nos ajudar, estaríamos em apuros, pois encontram-se em doses iguais e não permitem grandes distinções. Mas as recordações ao álbum de 2001 "Simple Things" e as comparações com a pop francesa, fazem a balança pender para a opção um. A questão é difícil demais para uma resposta de cruzes, que poderá ser ponderada sem prazo de validade.

1 comentário:

amazing disse...

não brinques comigo.
último álbum?
quem disse isso?
está tudo doido?
essa é que não...